quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

- Eu gosto de ti, Beatriz. Eu gosto muito de ti. Eu gosto tanto de ti.
- Pois eu não - ela abaixou os olhos, procurando os dele.
Quando encontrou, falou quase sorrindo, como quem dá uma coisa doce,
não como quem enfia uma faca afiada: - Gosto só como amigo.
- Como amigo, não me interessa - gemeu.



__Caio Fernando Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário